PLANEJANDO A SUA CARREIRA

32

Você já parou para pensar como estará sua vida profissional daqui a 5, 10 ou 20 anos? Se sim, então você já deu seus primeiros passos para a criação de um plano de carreira. Se não, está na hora de começar a pensar!

O plano de carreira nada mais é do que um conjunto de caminhos e metas bem definidos que servem como um guia de crescimento profissional. E olha só, todo e qualquer profissional deve se preocupar em fazer o seu planejamento de carreira, sob pena de não opinar ou de ser até omisso nas principais decisões e escolhas da sua vida, vivendo conforme a música “deixa a vida me levar”.

woman-with-pencil-planning-schedulesmall

Basicamente, o planejamento é composto por três partes:

  • A primeira diz respeito onde você se encontra atualmente, com relação ao cargo ocupado, remuneração, competências que possui, formação acadêmica e histórico profissional.
  • A segunda, é relacionada aonde se quer chegar, quais são seus objetivos em curto, médio e longo prazos. Por exemplo: “ser o diretor de uma grande empresa”, ou “ser o dono do seu próprio negócio”, ou ainda, “ter sido aprovado em concurso público para um determinado cargo”.
  • E a terceira parte, quais os passos necessários para que seus objetivos sejam atingidos, ou seja, o caminho a ser percorrido.

Na formulação dos objetivos, é necessário muito bom-senso. Acima de tudo, o plano deve ser factível, sob pena de o profissional desmotivar-se com o passar do tempo em função de metas inatingíveis. Dito isso, alguns aspectos devem ser considerados na elaboração e, principalmente, na execução do planejamento. Vou citar três mais relevantes:

Procure estar sempre atualizado com os conhecimentos necessários para o alcance dos seus objetivos. Participar frequentemente de cursos, palestras e congressos é fundamental, além de proporcionar novos e ricos contatos. Mas é primordial escolher aqueles que realmente tenham a ver com seus objetivos profissionais, para que tempo e dinheiro não sejam desperdiçados.

Depois cuide da sua network. Desenvolver uma boa rede de contatos não é disparar para todos os lados. Uma boa network tem contatos em número suficiente para que você, ao necessitar, consiga ajuda para, por exemplo, recolocar-se no mercado. Mas não deve ser grande o bastante que não permita um contato frequente com cada pessoa da sua rede. Afinal, pedir uma indicação de emprego para aquele colega com quem você não fala há dez anos pode ser uma situação desagradável para ambos, além de improdutiva.

E, por último, reavalie seu plano anualmente. É comum que não se atinjam os resultados esperados, no prazo determinado, com o custo previsto. Por isso, ao menos uma vez ao ano é importante rever e adequar o seu planejamento seja em função de novas metas ou de objetivos não cumpridos. O planejamento de carreira é uma ferramenta com forte fator motivacional e, aliada à escolha de uma área em que realmente goste de trabalhar, pode torná-lo, um profissional de destaque. Utilize-a com sabedoria e tenha muito sucesso!

Ana Cristina

Deixe o seu comentário