Por que as mulheres não estão no comando? – por Karina Matos

778

As mulheres são responsáveis por 85% das compras dos consumidores e influenciam ainda mais em escolhas de serviços, mas infelizmente esse potencial não se reflete quando se fala em ocupar cargos estratégicos dentro das empresas. Cargos estratégicos são aqueles que têm o poder de decisão, e nesse campo nós somos minoria.

Segundo a Fortune 500 apenas 14% desses cargos são ocupados por mulheres e apenas 2% conseguem chegar ao cargo de CEO. Espantadas? Pois, não fiquem, fiquemos motivadas a mudar essa realidade e vamos agir, e o primeiro passo para a ação é o conhecimento. Então, pergunte-se por que as mulheres estão tão distantes dos homens?

O primeiro fator é cultural, não é fácil conciliar vida profissional e pessoal. Escolher entre família e carreira. Assim, para a maioria, chegar a um cargo de liderança implica estar solteira. No âmbito da promoção, os chefes homens logo pensam: como ela vai conseguir conciliar filhos, marido, viagens, metas? E muitas vezes em momentos de crescimento acelerado na carreira ela tem que decidir entre a promoção ou ter um filho.

O segundo e principal fator que afasta as mulheres dos cargos de tomada de decisão vem do total despreparo para a formação de alianças. Somos experts nas relações pessoais, mas não nas relações profissionais. As mulheres ainda não entenderam o que os homens já praticam há muito tempo. Somos ensinadas a fazer tudo sozinhas e querer que tudo saia perfeito. Quando nos dão uma tarefa nós nos concentrados, baixamos a cabeça e tentamos fazer o melhor que já foi feito. Os homens alardeiam para toda a equipe a tarefa que eles precisam realizar e convocam aliados para todas as etapas.  Eles caminham juntos.

foto-1-coluna-karina

“Somos ensinadas a fazer tudo sozinhas e querer que tudo saia perfeito… Os homens alardeiam para toda a equipe a tarefa que eles precisam realizar e convocam aliados para todas as etapas.”

Fazer conexões é essencial no trabalho, quando você envolve outras pessoas no seu projeto, você cria um grupo, você mantém relações, você se expande. Aliás, é comprovado cientificamente que à medida que você aumenta o seu grupo de relações, o seu cérebro se expande. Porque para lidar com mais pessoas é preciso fazer mais conexões, o que resulta em mais negociações, uso de empatia, ouvir mais, aprender com as experiências do outros, evitando assim erros comuns, trabalhar a linguagem e a comunicação verbal e não verbal.

Como a mulher chegou tardiamente ao mercado de trabalho, as regras do jogo já estavam à mesa e isso fez com que o comportamento inicial fosse de retraimento, como se pedíssemos desculpas por estar ocupando aquela vaga. Sim, porque “lugar de mulher é na cozinha!”. E para provar que podíamos fazer o melhor sem ajuda dos outros, nos fechamos em ser perfeitas, com um esforço solitário. E os homens o que faziam nesse momento? Continuavam treinando suas alianças, porque eles descobriram que assim poderiam ir muito mais longe do que andando sozinhos e tentando ser perfeitos.

As conexões são importantes em todos os aspectos: emocional, espiritual, profissional, de saúde… E qualquer conexão vale? Não, aí é que está a questão. Faça conexões com aquelas pessoas que tem algo que você busca, se busca felicidade conecte-se à pessoas felizes. As pesquisas indicam que só ter um amigo em primeiro grau feliz aumenta em 45% a probabilidade de você também ficar mais feliz. Se você busca melhorar no financeiro, conecte-se àqueles que vão bem nesse setor e assim possam te ensinar algo. Se você precisa perder uns quilinhos, então, junte-se à turma da musculação, elas vão falar sobre comida saudável, exercícios, roupas de ginástica, metas alcançadas.

foto-2-coluna-karina

As conexões geram vínculos e essas ligações em rede muitas vezes são responsáveis pelo cargo, salário, local onde moramos, mas do que a nossa classe, gênero ou educação. Elas criam oportunidades para os que têm um laço social. Quantas vezes o emprego na empresa é preenchido por indicação de amigos? Os vínculos em rede promovem a generosidade, o que resulta em confiança, empatia e amigos.

E se você está em busca de aumentar suas conexões no trabalho comece valorizando as pessoas que trabalham na sua equipe, elas precisam sentir que podem confiar em você e se você for daquelas apaixonadas pelo trabalho, com um propósito e focada em resultados, melhor ainda, as pessoas gostam de estar conectadas a outras que as inspiram. Deixe claro a essa equipe que vocês, juntos, podem mudar o futuro.

Comentem, estou por aqui à espera de conexões, beijos e até a próxima.

Deixe o seu comentário