Como emagrecer até o carnaval? – por Adrianne Holanda

416

       Você olha no calendário e percebe que o carnaval está chegando, e aquele plano para emagrecer até as festas ainda não teve início. E você pergunta: “ E agora, o que devo fazer? Há tempo? Por favor, responda nutri!” Você entende que essa não é apenas uma pergunta e entende que é também uma súplica! Daí vem outra pergunta fundamental que deve ser questionada: “ Você quer perder peso a qualquer custo, independentemente das conseqüências? ou prefere emagrecer de forma saudável, duradoura  e sustentável?”

           A “moda” é a promessa de perda de peso super rápido e em tempo recorde, com dizeres bem “sensacionalistas e apelativos”, como este: “Perca 10 Kg em 21 dias e fique de barriga chapada”!!!. Sabemos que, quem conhece o corpo humano na sua complexidade entenderá que não se perde gordura e se adquire músculos da noite para o dia. E muito menos se define uma barriga, deixando-a durinha em milagrosos 21 dias!

      É preciso entender que milagres dessa natureza não costumam acontecer, e os “profissionais” que prometem “mundos e fundos” ao seu público alvo, são pessoas não graduadas na área, nem compromissadas com a saúde e o bem estar dos seus seguidores, objetivando apenas lucro financeiro, pessoal e status de forma errada, desonesta e imprudente.

      A verdade é que aderir a uma dessas dietas radicais vai fazer você perder peso sim, mas, o que você precisa saber é que nem sempre perder peso significa realmente emagrecer. E você pergunta, “como assim?”

     A perda de peso pode ser decorrente da perda de gordura, de músculos ou apenas de líquidos – a temida desidratação. Porém, “emagrecer é quando conseguimos reduzir o percentual e a quantidade de gordura no nosso organismo”. Essa é a perda de peso que necessitamos: Perda de Gordura = Emagrecimento saudável. Afinal, perda de músculos e água não é interessante para o nosso corpo.

     Outro problema das dietas radicais, que prometem perda de peso rápida e em grande quantidade é que, muitas vezes, elas privam o organismo também de nutrientes essenciais – como vitaminas e sais minerais. A falta de substâncias como sódio, potássio, selênio, zinco, fósforo, cálcio e magnésio pode levar a problemas sérios, incluindo cólicas e problemas intestinais, vômitos, diarréia, hipovitaminoses, anemia, alopecias e até arritmias cardíacas graves.

  

      Por isso, o nível de vitaminas deve ser monitorado frequentemente. A perda de peso deixa de ser saudável quando a pessoa fica desnutrida. Durante esse tipo de dieta, também, o corpo passa a usar massa muscular como fonte de energia, diminuindo essa reserva que deveria ser preservada.

       Então, voltaremos ao tema central: “Como emagrecer até o Carnaval?”

       Como ainda falta 1 mês até lá, há tempo de emagrecer sim. Porém e infelizmente, não existe fórmula mágica. A forma saudável e correta de emagrecer (perder gordura e não apenas peso) é fazer exercícios físicos e reeducar-se para ter, constantemente, uma alimentação saudável. Tudo com acompanhamento nutricional individualizado. O ideal é que, ao fazer “dieta’, possamos perder vários quilos de gordura, mantendo a massa muscular, para então melhorar o metabolismo, pois, precisamos dessa massa muscular para, inclusive, acelerar o metabolismo.

      O mais saudável é fazer uma avaliação nutricional individualizada para saber quanto cada pessoa pode emagrecer por período – o mais adequado gira em torno de meio a um quilo por semana. Além disso, serão considerados vários fatores como patologias associadas (se houver), idade, IMC, bioimpedância, sexo, horário de treinamento, preferências alimentares pessoais (se podem ser encaixadas em um plano alimentar mais flexível), tipo de metabolismo, exames bioquímicos, anamneses, objetivos, etc.

       Até um “simples e suposto inofensivo chá”, de ervas como hibiscos, cavalinha e chá verde, que ajudam na desintoxicação e no processo de emagrecimento, deve ser orientado e indicado pelo seu nutricionista, pois nem todos podem tomá-los, em decorrência de possíveis patologias existentes.

          Outro detalhe importante é que não devemos nos privar de gorduras boas e nem de carboidratos complexos, ficando fracos e sentindo fome, pois o cérebro entende que a pessoa está realmente passando fome e lança mão de mecanismos hormonais para que ela passe a comer.

        Além da intervenção do cérebro para estimular a fome, acontece uma redução do metabolismo, porque também diminui o hormônio da tireóide nos tecidos, como forma do corpo poupar energia – exatamente o oposto do que se espera numa dieta. Há ainda uma liberação excessiva de cortisol – que estimula a retenção de líquidos e o ganho de peso –, já que o corpo entende a dieta extrema como uma situação de estresse e termina estocando a gordura.

        Por isso, mesmo que a roupa não caiba, melhor do que recorrer às dietas emergenciais é fazer um plano para emagrecer de maneira saudável. O resultado pode ser bem mais duradouro, sustentável e belo de se ver.

        Feliz Carnaval e até a próxima!

   

Adrianne Holanda

Graduada em Ciências Contábeis; Graduada em Nutrição; Pós Graduanda em Nutrição Clínica, Estética e Funcional; Pós graduanda em Nutrição Oncológica.

Deixe o seu comentário