Lancheira saudável – por Adrianne Holanda

197

No mundo globalizado e acelerado de hoje, por falta de tempo, muitos pais terceirizam o que há de mais importante no dia a dia dos seus filhos: A alimentação. E essa vai sendo negligenciada de forma silenciosa e  imperceptível, no comodismo do comprar tudo pronto, processado e industrializado ( sucos de caixinhas, refrigerantes, achocolatados, fast foods, biscoitos, salgadinhos, frituras, embutidos, entre outros) mas que vai fazendo estrago a curto e longo prazo na saúde dos pequenos de forma crônica, acarretando doenças como dislipidemias, obesidades, doenças cardiovasculares, diabetes, câncer, alergias, entre outras.

Além disso, a alimentação equilibrada é um fator que garante o crescimento e o desenvolvimento correto de uma criança, não somente durante a infância, mas também na adolescência. Muitos especialistas reforçam a importância do papel da alimentação na aprendizagem das crianças, já que a ciência já comprovou que alunos bem nutridos podem apresentar melhores notas e aproveitamento do que aqueles que têm uma alimentação desequilibrada ou deficiente.

O nosso principal órgão de aprendizado é o cérebro, que depende do fornecimento correto de energia para funcionar. Crianças bem alimentadas têm maior facilidade de aprendizado porque conseguem raciocinar corretamente, já que o cérebro está sendo nutrido com energia durante seu funcionamento. 

Já em crianças que não recebem nutrientes suficientes, o cérebro fica sem substrato energético para funcionar bem, prejudicando a capacidade de raciocínio e de aprendizagem. E no quesito nutrientes, refiro-me à alimentação saudável e não apenas a calorias vazias das comidas industrializadas.

A obesidade no Brasil cresce a cada dia juntamente com a desnutrição. E curiosamente alguns obesos são desnutridos, pois sua alimentação é repleta de calorias vazias ( excesso de fast foods, frituras, industrializados, refrigerantes, açúcares, etc), porém deficientes em nutrientes necessários à saúde ( vitaminas e minerais, como exemplo ).

     Diante desse cenário, é necessário que a sociedade, educadores, colégios e sobretudo os pais procurem participar da educação alimentar dos seus filhos desde cedo, e a melhor forma é dando exemplo dentro de casa, com paciência, orientação, calma e muito amor. A criança que tem o costume de alimentar-se saudavelmente desde cedo, não sentirá necessidade dos alimentos tidos como não saudáveis no decorrer do seu crescimento, e isso ocorre de forma natural, sem que precisemos forçar a barra. Uma criança que nunca experimentou açúcar ou refrigerante quando menor ( o que é totalmente desnecessário ), vai rejeitar esses produtos quando maiores, de forma espontânea e natural.

     Para alguns pais que precisam de ajuda no processo de educação alimentar dos seus filhos, garanto que nunca é tarde. Então, que tal começar a montar uma lancheira saudável para seus filhos? Tudo é questão de determinação, paciência e foco! Com certeza a saúde dos seus filhos agradecerá hoje e no futuro!

       Nem sempre montar uma lancheira saudável e que agrade à criançada é  uma tarefa fácil, mas com algumas dicas esse processo pode se tornar mais simples. Aí vão algumas dicas: Vamos lá?

 Dicas Para Montar Lancheira Saudável:

1 – Escolher alimentos práticos, porém sempre naturais, nada de industrializados: No caso para não darem trabalho na hora de montar o lanche, pensando na correria diária dos pais. As frutas, por exemplo,  podem ser enviadas já cortadas e sem casca – como no caso da manga, da melancia, do mamão e do kiwi.

2 – Envolver o seu filho no processo: isso quer dizer levá-lo ao supermercado ou à feira para fazer as compras e chamá-lo para montar os lanches – sempre explicando os benefícios de cada alimento. Essas atitudes fazem com que, desde cedo, ele aprenda a ter autonomia e no futuro possa fazer as melhores escolhas alimentares.

       

3 – Abusar da criatividade: um sanduíche de bichinho, frutas cortadas em formatos divertidos. Inspire-se nessas receitas e crie opções que são atrativas visualmente. Existem lojas que vendem forminhas e cortadores de frutas em formato de bichinhos, corações, frutinhas, brinquedos, etc.

                           

4 – Não tenha medo de ousar e inserir novos alimentos, desde que sejam saudáveis: fuja do óbvio e aproveite os lanches escolares para apresentar coisas diferentes, como uma omelete de banana, uma crepioca de legumes, uma vitamina com leite vegetal de aveia com frutas, etc.

   

5 – Esqueça os industrializados: deixe de lado os sucos de caixinha, os achocolatados, os biscoitos recheados e os salgadinhos, pois nada disso agrega valor nutricional. Não tenha em casa comidas que você já sabe que não quer oferecer para o seu filho, pois na hora da correria você acaba pegando o mais prático e menos saudável.

6 – Planeje o cardápio semanal: Pense com antecedência nas comidinhas que farão parte da lancheira do pequeno durante os cinco dias da semana. Acredite: manter uma programação é a melhor maneira de oferecer alimentos nutritivos.

7 – Seja o exemplo: sim, as crianças se espelham nos pais o tempo todo. Então que tal chamar o baixinho para ajudá-lo a preparar o lanche que você levará para o trabalho? Façam as refeições juntos e aproveitem para conversar sobre os benefícios de cada alimento, da importância da salada, do feijão e daquela frutinha para nossa saúde. Dessa maneira, ele enxergará que os hábitos saudáveis fazem parte da rotina da família toda e que não é só ele que deve se alimentar bem na escola e no dia a dia.

E qual a sugestão de cardápio infantil poderia finalizar essa matéria?

Segue algumas dicas da Nutri:

.  Sucos naturais ( da fruta com vegetais, de preferência sem açúcar ).

   Leite vegetal caseiro de côco ( ou leite de gado ) com cacau em pó

.  Vitamina de frutas com aveia  

.  Danone de Inhame ou de macaxeira ( super fácil de fazer e fica uma delícia ).

.  Frutas cortadinhas com granola 100% natural ou mel ( mel se maior de 1 ano )

.  Omelete com recheio de banana com cacau ou queijo branco ou ricota

.  Bolinhos de arroz assados ao forno ( ao invés de fritos com óleo )

. Sanduíche natural com pão integral, peito de frango, cenourinha e tomate.

.  Espetinhos de frutas.

Enfim, aos poucos vamos aprendendo a usar a criatividade, o importante é que a alimentação seja sempre natural, longe dos industrializados. E a saúde dos nossos pequenos agradecerá por toda a vida. E lembre-se de sempre consultar seu nutricionista.

Até a próxima!

Adrianne Holanda

Graduada em Ciências Contábeis; Graduada em Nutrição; Pós Graduanda em Nutrição Clínica, Estética e Funcional; Pós graduanda em Nutrição Oncológica.

Deixe o seu comentário