O seu animal se coça muito? Ele pode ser atópico – por Diana Sousa

56

A coceira em pets pode ter inúmeras causas como já foi mencionado em outras matérias já postadas aqui no nosso portal, que vão desde a presença de fungos, bactérias, sarna, problemas comportamentais até as alergias, que são uma das principais causas de problemas dermatológicos em pequenos animais, principalmente cães. E, dentre as alergias mais frequentes, está a dermatite atópica, é uma dermatite alérgica a alérgenos ambientais que levam ao aparecimento de inflamação da pele com coceira intensa.

Cães com predisposição genética têm um defeito na barreira da pele. Assim entram em contato com um alérgeno ambiental que normalmente não causa reação. Como a doença tem um carácter genético, poderá ser mais frequente em famílias ou em algumas raças de cães. É detectada principalmente entre o 1º e 3º ano de idade. No entanto poderá aparecer em cães idosos que mudem de ambiente (ex. mudança de casa) e sejam expostos a novos alérgenos.

A predisposição parece também envolver uma maior tendência para uma resposta com elevada IgE, o contato precoce com o antígeno (ex. nascimento em alturas de pólen) ou a presença de doenças parasitárias:

  • Boxers;

  • Bulldog Inglês e Francês;

  • Chihuahuas;

  • Terriers (Yorkshire Terriers, West Highland White Terrier; Caim

  • Terrier, Terrier Escocês; Boston Terrier);

  • Golden Retrievers;

  • Pastor Alemão;

  • Dálmatas;

  • Labrador retriever;

  • Cocker Spaniel;

  • Pugs;

  • Shar Pei;

  • Setter (Gordon, Irlandês, Inglês);

  • Lhasa Apsos;

  • Shih tzus;

  • Miniature Schnauzer;

  • Belgian Tervurens;

  • Shuba inus;

  • Beaucerons;

  • Chow-Chow

Apesar de os sinais aparecerem entre o 1º e o 3º ano, algumas raças podem ser precoces. Raças como Akita, Chow-Chow, Golden Retriever e Shar Pei poderão apresentar sinais de atópia a partir dos 2 meses. Os principais sintomas são:

  • Inflamação;

  • Coceira

  • Vermelhidão ou pústulas;

  • Mordiscar ou coçar;

  • Otites recorrentes;

  • Infecções de pele recorrentes;

  • Alterações na pele (ex. engrossamento da pele);

  • Alopecia (ausência de pelos em determinadas áreas)

  • Lamber entre os dedos ou na região abdominal.

O diagnóstico é feito basicamente por exclusão de outras doenças dermatológicas que venham a ter os mesmos sintomas, inclusive excluindo alergia alimentar, outro tipo de alergia com sintomatologia bem semelhante ao da dermatite atópica.

E O TRATAMENTO???

A dermatite atópica é uma doença que não tem cura, portanto o tratamento é baseado no controle, ou seja, evitando as crises e a exposição a alérgenos que possam provocar reação alérgica. Várias são as opções de tratamento, onde podemos utilizar desde produtos tópicos, a medicamentos orais e injetáveis e imunoterapia. Porém, não existe uma fórmula estabelecida, ou seja, cada paciente deve ser tratado individualmente pois as necessidades são particulares de cada um, então muitas vezes um tratamento que foi efetivo em um animal, pode não ter nenhum efeito em outro, por isso a importância de um acompanhamento minucioso por um profissional capacitado nessa área.

Deixe o seu comentário