Tudo o que você precisa saber antes de decidir aplicar toxina botulínica – por Daniela Moraes Souza

1949

Oi, meus leitores queridos!

Hoje eu vou explicar tudo que vocês precisam saber antes de decidir aplicar toxina botulínica.

Em minha opinião a toxina botulínica aplicada à estética foi uma das melhores invenções da ciência para a Dermatologia, pois esse é o único tratamento realmente resolutivo para a atenuação das rugas dinâmicas, que são as rugas que surgem quando contraímos os músculos responsáveis pela mímica facial, por exemplo, quando ficamos surpresos levantamos a testa, quando ficamos com raiva contraímos a área entre as sobrancelhas e quando sorrimos forte contraímos o músculo ao redor dos olhos, formando os pés de galinha. A toxina não consegue reverter totalmente as rugas estáticas, ou seja, aquelas que estão presentes mesmo quando o paciente não faz movimentos na face. Essas rugas denotam um grau maior de envelhecimento e geralmente requerem vários tratamentos associados. Por isso o melhor momento para iniciar a aplicação da toxina botulínica é quando o vinco começa a ser formado, pois a intenção é prevenir que a ruga dinâmica se transforme em ruga estática.

 A ação terapêutica da toxina botulínica é muito versátil e pode ser utilizada para fins terapêuticos (inclusive em outras áreas da medicina, como a neurologia) e estéticos.

A aplicação correta da toxina por Dermatologistas treinados permite diminuir a força da contração muscular e consequentemente diminuir a intensidade das rugas dinâmicas do rosto deixando a face com uma fisionomia mais leve e jovial, porém sem perder a naturalidade.

Além de atuar no rejuvenescimento facial, a toxina também pode ser utilizada para diminuir a liberação de suor no couro cabeludo, nas axilas, nas palmas e nas plantas. Essa ação sobre a secreção de suor é muito útil naqueles pacientes que sofrem de hiper-hidrose (suor excessivo) e não respondem aos medicamentos que existem para essa finalidade.

A toxina Botulínica é produzida a partir da bactéria anaeróbica Clostridium Botulinum. Já foram descritos sete tipos diferentes de toxina Botulínica (A, B, C, D, E, F e G), mas somente a A e B são utilizadas como medicamento.

A toxina usada na Dermatologia é a toxina tipo A, embora alguns países Europeus já utilizem o Neurobloc ou Myobloc (toxina tipo B) nos pacientes que tem resistência à ação da toxina tipo A.

Existem várias toxinas tipo A no mercado que diferem uma das outras pela quantidade de proteínas e albuminas presentes nas suas formulações.

As marcas de toxinas mais bem conceituadas, que possuem mais estudos e que por isso são as mais utilizadas em nosso meio são o famoso Botox, da marca Allergan e o Dysport, da marca Galderma. Essas toxinas são bem mais caras do que outras marcas que surgiram nos últimos anos, mas, em minha opinião, vale a pena o investimento pela qualidade dos produtos.

Mecanismo de ação:

As toxinas botulínicas do tipo A agem bloqueando a ação da Acetilcolina, que é um neurotransmissor comum que estimula a contração da musculatura da mímica facial e também a secreção de suor pelas glândulas sudoríparas.

Esse bloqueio demora até 14 dias para atingir o resultado máximo, porém, a partir do terceiro dia após a aplicação da toxina já é possível perceber um efeito inicial, como uma discreta diminuição da força muscular.

A duração da ação do medicamento é bastante individual e difere bastante de uma pessoa para outra. Em geral dura de 3 a 6 meses, sendo uma média de 4 meses quando a finalidade é a redução das rugas faciais e de 6 meses quando a finalidade é a redução do suor.

O efeito da toxina não é permanente porque o nosso corpo vai criando novos brotamento neuronais para restabelecer as comunicações nervosas que estão bloqueadas pela medicação. A partir do terceiro mês a ação vai aos poucos reduzindo e até o sexto mês após a aplicação a contração muscular será restabelecida.

A duração dos efeitos clínicos da toxina depende de vários fatores, entre eles: dose total utilizada, gravidade do quadro clínico, excesso de expressão facial, atividade física intensa, fatores individuais como capacidade de regeneração neurológica, uso de hormônios anabolizantes e presença de anticorpos neutralizante da toxina Botulínica.

Sempre aviso meus pacientes de que a toxina não tem como ser um procedimento barato. A toxina Botulínica é uma medicação importada e de elevadíssimo custo. Por isso, desconfie de preços muitos baixos. “Quando a esmola é demais até o santo desconfia”. Cuidado pra não adquirir um produto de qualidade inferior ou receber em seus músculos um produto super diluído. Em ambos os casos a eficácia e duração do tratamento estarão comprometidas. Em resumo, em se tratando de aplicações estéticas não existe mágica para promoções exageradas.

A formação de anticorpos neutralizantes antitoxina botulínica é possível e está relatada especialmente nos pacientes que recebem altas doses sequenciais por longos períodos e também naqueles pacientes que recebem subdoses em curto intervalo de tempo. Por isso é importantíssimo fazer as aplicações com Dermatologistas qualificados e éticos. Profissionais que associam o uso de medicações de qualidade à técnica correta de aplicação fazem o resultado ser superior. Mas, vale dizer, que existem relatos de pacientes que nunca haviam recebido toxina botulínica antes e que não responderam a medicação já numa primeira aplicação. Isso é extremamente raro e graças à Deus nunca tive essa experiência.

As doses recomendadas para as aplicações estéticas podem variar de 1-5U por ponto por músculo, dependendo da intensidade da força e da massa muscular. Deve-se lembrar que os resultados são proporcionais às doses usadas e assim, como já escrevi antes, para se conseguir resultado satisfatório e duradouro, não se pode trabalhar com subdoses. A dose total por procedimento Dermatológico é variável, sendo, em média, 50 U para face e 100U para hiper-hidrose. Alguns pacientes necessitam de doses mais altas, o que eleva o custo do tratamento.

A toxina Botulínica age somente após a injeção intramuscular. A aplicação sobre a pele não tem efeito, por isso, não acredite em cremes milagrosos que dizem induzir efeitos da toxina na pele. Isso é propaganda enganosa para aumentar a venda de produtos! Os cremes atuam aumentando a hidratação, uniformizando a pele e estimulando a formação de fibras colágenas e elásticas. Esses resultados proporcionam uma maior viçosidade da pele e ajuda na prevenção da flacidez e na atenuação de sinais discretos de envelhecimento. Já a toxina age mais profundamente, na musculatura responsável pela formação da ruga, um lugar privilegiado que nenhum creme consegue chegar.

Possíveis efeitos colaterais após a aplicação:

Alguns efeitos colaterais podem acontecer após a aplicação, mas, quando acontecem, são geralmente leves e passageiros. São eles:

  • Inchaço no local da aplicação

  • Dor e sensibilidade no local da aplicação

  • Hematomas

  • Pálpebras caídas (raríssimo)

  • Fraqueza muscular

  • Náuseas, vômito e dores de cabeça

  • Sintomas de gripe

Contra-indicação à aplicação de toxina Botulínica: 

  • Reação alérgica após exposição prévia (não existe teste para averiguar essa possibilidade, mas já adianto que é um evento extremamente raro)

  • Gravidez e amamentação

  • Aplicação em locais inflamados ou infectados

  • Pacientes com doenças auto-imunes (lúpus eritematoso sistêmico) ou neuromusculares (miastenia gravis)

  • Paciente com uso de antibióticos devido à interação medicamentosa

  • Pacientes que precisam da mímica facial, como atores, devem estar cientes que os músculos poderão ficar “paralisados” por um período

  • Pacientes em uso anticoagulante ou aspirina apresentam contra indicação relativa. A toxina pode ser aplicada, desde que o paciente seja muito colaborativo, pois certamente irá evoluir com a formação de vários pontos de equimoses (pontos roxinhos devido o sangramento).

Em quais locais a toxina pode ser aplicada?

  • Região frontal – linhas na testa

  • Ao redor dos olhos – rugas como “pés de galinha”

  • Vincos entre as sobrancelhas.

  • Rugas ao redor da boca e dos lábios.

  • Rugas do pescoço e colo.

  • Sorriso gengival – quando ao sorrir é exposta uma área muito grande da gengiva.

  • Região nasal, para levantar a ponta do nariz.

  • Axilas, palmas e plantas – para diminuir o suor.

  • Couro-cabeludo- para diminuir a oleosidade.

Como é realizada a aplicação da toxina botulínica?

O procedimento é simples e não é muito doloroso, pois antes de aplicarmos a toxina usamos um anestésico tópico em toda a área que será tratada durante 30 minutos.
A aplicação demora cerca de 15 minutos e o tempo total do procedimento (aplicação e anestesia) demora cerca de 45 minutos.

Qual a idade ideal para começar a aplicar a toxina botulínica?

Não existe idade mínima para aplicar a toxina botulínica. Aconselho a procurar um Dermatologista para avaliação da necessidade da aplicação já no momento em que surgirem as primeiras ruguinhas dinâmicas.

Recomendações médicas após a aplicação da toxina botulínica:

  • Evitar exposição ao sol.

  • Não deitar-se e não abaixar a cabeça por 4 horas.

  • Não realizar atividades físicas no dia da aplicação.

  • Não massagear e não manipular a área tratada.

  • Aplicar gelo na primeira hora após a injeção ajuda a diminuir o edema e os hematomas.

  • Após 2 semanas, tempo em que a toxina atinge seu efeito máximo, o paciente deve retornar ao consultório para realizar uma reavaliação e se necessário realizar o retoque.

As reaplicações não são obrigatórias, mas são essenciais para manter o efeito da toxina. Elas devem ser realizadas a cada 4 ou 6 meses no tratamento para rugas faciais e, pelo menos, uma vez por ano nos pacientes mais jovens que visam a prevenção das rugas faciais. Já no tratamento da hiper-hidrose a reaplicação deverá ser realizada a cada 6 ou 8 meses.

Espero ter tirado todas as dúvidas de vocês sobre esse tratamento fantástico!

Um grande beijo!!!

Deixe o seu comentário